Contreras (José Contreras Castilho)

“Veja só: o Valdenísio, a gente trouxe ele hoje aqui porque é o seguinte: não adianta, sabe, eu acho que a gente tem que somar, não é falar porque o Sindicato de S. Bernardo está fazendo alguma coisa e excluindo os companheiros. Eu acho que nós não estamos com esse espírito de exclusão, não. Nós estamos é nós somando, somando àquilo que está sendo feito. Por que? Porque aquilo que eles estão fazendo e que nós estamos fazendo, isso vai ficar pra posteridade e aí os companheiros que vierem depois vão analisar tudo. Então nós estamos contribuindo. E quando foi sugerido o Valdenísio, que é meu amigo particular, e como ele disse que ele foi até como um castigo cobrir os sindicatos porque não acontecia nada, e por sorte dele como jornalista, ele acabou sendo o primeiro jornalista, um dos primeiros a cobrir tudo isso. E nós aqui temos a felicidade de estar inserindo ele como jornalista e professor hoje pra estar fazendo esse livro que ele a partir de agora… você está sendo incluído na confecção deste material, já que ele foi também fazer essa pesquisa.

É que ele citou também, e eu conheci também, o fotógrafo, o fotógrafo, o principal fotógrafo das greves que é o João Colovati, um baixinho, carequinha, desdentado, é difícil o sindicalista que não conheceu o João Colovati, pode não saber o nome, mas tinha um fotógrafo do Diário, gordinho, careca… ia lá, tudo… e que infelizmente nos deixou porque senão eu teria trazido ele aqui também, como eu trouxe você, é que há cerca de um ano o Admír Met(?} ficou super-aborrecido, ele trabalhou dezenas de anos, sei lá, no Diário do Grande ABC, e ele faleceu na rua, no centro de Santo André, na estação, ele foi encontrado morto como indigente na estação, abandonado talvez não sei pela família pelo Diário… ele, eu acho que o João Colovati deveria receber uma homenagem dos sindicalistas porque as principais fotos dos jornais do Diário do Grande ABC principalmente foram feitas por esse fotógrafo que registrou e que infelizmente a sociedade, a família, os amigos acabaram… ele mesmo, talvez, e ele faleceu há cerca de um ano como indigente no centro de Santo André. É só esse registro.

Grêmio da Scania
São Bernardo do Campo
29 de março de 1998

Esta entrada foi publicada em 20 anos da quebra do silêncio - 1978/1998. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Uma resposta para Contreras (José Contreras Castilho)

  1. Rodrigo da Silva Pinto disse:

    Boa Tarde.

    Sou estudante da Fundação Santo André, e ao realizar uma pesquisa na biblioteca deparei com um material intitulado História da represa Billings e o ABC das águas de José Contreras Castilho. Como este material não tem maiores informações como se é uma tese, o ano de publicação etc, espero que vc me esclareça mais sobre ele que é muito bom mas falta referencias.

    Agradecido!
    Rodrigo da Silva Pinto – 4º Geografia FSA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
To prove you're a person (not a spam script), type the security word shown in the picture. Click on the picture to hear an audio file of the word.
Anti-spam image